Dita o Correio da Manha de hoje (08.09.2010 ) que a Justiça Portuguesa fez um arresto a uma casa do ex-investigador da Policia Judiciária no caso Maddie Mcann. Isto, porque os pais da pobre miúda se sentiram ofendidos pelo livro escrito por Amaral, onde descreve a sua teoria sobre o que terá acontecido na fatídica noite em que Maddie desapareceu.

Ora, ou a memória me engana, mas ofendido senti-me eu quando os senhores em causa disseram cobras e lagartos de Portugal, das nossas policias, dos nossos tribunais. Ofendido senti-me eu quando Kate e Gerry Mcann se rodearam de um autentico manancial de relações publicas (assessor do Primeiro Ministro Britânico tornam-se Porta-Voz do casal, Gordon Brown “patrocina” o caso, Embaixada do Reino Unido em Lisboa move mundos e fundos em menos de 24 horas, incluindo contactos a alto nível politico…) e o nosso governo nada fez para conter o que já se previa vir a tornar-se um monstro difícil de domar em matéria de relações publicas. Ofendido senti-me eu que, perante a possibilidade de serem acusados como arguidos, Kate e Gerry tenham fugido à justiça Portuguesa, com o mundo a assistir em directo pela televisão.

Até hoje, ninguém sabe ao certo o que aconteceu a Maddie Mcann. E por isso mesmo, é legitimo que cada um possa formar a sua teoria e expressá-la publicamente. E se alguém tem credibilidade para apresentar a sua, será a pessoa que, mal ou bem, dirigiu uma investigação sobre forte pressão politica, social e mediática. Ainda por cima, a teoria de Gonçalo Amaral faz sentido, é coerente e apresentada de forma aberta e baseada em factos concretos. Todas as outras parecem contos de ficção de um qualquer filme barato.

E assim, o casal Mcann, gestores de um fundo multi-milionário fruto do desaparecimento da própria filha, atacam impiedosamente agora a única pessoa que talvez tenha mesmo procurado a “Verdade da Mentira”. E Gonçalo Amaral arrisca-se a pagar um preço muito alto por a ter, talvez, encontrado.

É que nem o “Foreign Office” (o MNE Britânico…) tem Maddie na lista de crianças raptadas. Desaparecida apenas. Mas Amaral irá perder a sua casa e talvez mais qualquer coisa, porque disse aquilo que viu com base no seu treino  e experiência (sim, a Policia Judiciária não contrata um qualquer por dá-cá-aquela-palha…), e do nosso governo nem um “piu” que se veja na defesa do homem.

E nós, povo de bons e brandos costumes, vamos ficar serenamente a ver tudo isto acontecer.

Pois por mim, que se danem os “charters” baratuchos vindos do Reino Unido. Os incentivos que se dão aos operadores de lá (são dezenas de milhões de euros anuais) podem ser reencaminhados para outros países com igual ou superior potencial. Que se processem e façam arrestos de bens a todos os desordeiros estrangeiros em Portugal, para pagar as custas com a policia e tribunais.

E quanto aos Mcann, que tal um processozito, no mínimo pelo facto de, tal como eles alegam em sua defesa, terem deixado 3 crianças sozinhas num apartamento durante horas?

Anúncios